segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

CRE parte 85: Poema da foda

Neste Brasil tão imenso
Quando chega o verão,
Não há um ser humano
Que não fique com tesão.

É uma terra safada,
Um paraíso perdido.
Onde todo mundo fode,
Onde todo mundo é fodido.

Fodem moscas e mosquitos,
Fodem aranha e escorpião,
Fodem pulgas e carrapatos,
Fodem empregadas com patrão.

Os brancos fodem os negros.
Com grande consentimento,
Os noivos fodem as noivas
Muito antes do casamento.

Coronel fode Tenente,
General fode Capitão.
E o presidente da República
Vive fodendo a nação.

Os freis fodem as freiras,
O padre fode o sacristão,
Até na igreja de crente
O pastor fode o irmão.

Todos fodem neste mundo
Num capricho derradeiro.
E o canalha do dentista
Fode a mulher do padeiro.

Parece que a natureza
Vem a todos nos dizer,
Que vivemos neste mundo
Somente para foder.

E você, meu nobre amigo
Que agora está a se entreter,
Se não gostou da poesia
Levante e vá se foder

(Autor Desconhecido)

Também pudera, se fosse conhecido, tava fodido!

Um comentário:

Márcio Diemer disse...

Óooootima meu velho!! Lembrei de uma música do camisa de vênus: Uma linda canção, dá uma lida depois! Abraços!